Mais de 80 ilustres convidados, nacionais e
internacionais, participam do FIQ em Belo Horizonte!


Ivan Reis, convidado do FIQ!

Ivan Reis

Ivan Reis Há 20 anos no mercado de quadrinhos, Ivan Reis trabalhou em vários gêneros de revistas e para diversas editoras, além das gigantes Marvel e DC Comics. Na Marvel, desenhou títulos como Vingadores, Homem de Ferro e Hulk. Na DC, desenhou Superman, Lanterna Verde e Aquaman, além de eventos importantes como Crise Final, A Noite Mais Densa e O Dia Mais Claro. Ganhou vários prêmios em sua carreira e atualmente é o desenhista oficial da Liga da Justiça.

Saiba mais

Max Fiumara, convidado do FIQ!

Max Fiumara

Nascido em Buenos Aires, Argentina, Max trabalha com quadrinhos desde 2002, já tendo passado pela Avatar Press, Marvel, DC e Dark Horse. Seus títulos vão deHomem-Aranha, Namor e Hulk vs. Vingadores a Corporação Infinito e à história de zumbis Black Gas, do escritor Warren Ellis. Em 2008, ele foi co-criador da série Four Eyes, com o roteirista de Homem-Aranha Joe Kelly, publicada pela Man of Action e pela Image Comics. Tem trabalhado com Mike Mignola em B.P.D.P. e Abe Sapiendesde 2012. Participa da da exposição "Ícones dos Quadrinhos" com a personagem Robin, de Cavaleiro das Trevas. Segundo ele “Batman e Robin são de longe os heróis que eu mais amo. Vejo Dick Grayson como Robin, mas a versão de Frank Miller fica no mesmo nível. Quando li O Cavaleiro das Trevas, tudo me pareceu muito tosco, muito feio, com exceção da Robin. Adorei o visual dela, como ela reagia a toda loucura que acontecia a seu redor. Fiquei apaixonado!”

Saiba mais

Wilson Cândido, convidado do FIQ!

Wilson Cândido

Quadrinista e professor de artes, Wilson é o autor das revistas em quadrinhos O Tratado da Autêntica Cereja e Sanka, O Samurai Jamaicano, publicado pela editora Emcomum Estúdio Livre. Vice-presidente da Associação Cultural Nação HQ, entidade de quadrinhos criada em 2004 que trabalha na formação, pesquisa e realização de eventos de quadrinhos em Minas Gerais, é responsável pela curadoria das exposições. Wilson é Bacharel em Bela Artes com habilitação em Cinema de Animação pela Escola de Belas Artes/UFMG.

Saiba mais

Erick Azevedo, convidado do FIQ!

Erick Azevedo

Erick Azevedo nasceu em 1968. Ele desenha e cria histórias desde os 5 anos, e faz HQs desde os 15. É um dos criadores do ”Movimento de HQs em Belo Horizonte” nos anos 90 e do “Estúdio HQ”. Publicou nas revistas Grafitti, Solar, Caliban, na coletânea Talismã, além de trabalhar com roteiros institucionais e publicitários variados. Desde 2000, leciona na escola Casa dos Quadrinhos, em Belo Horizonte, e desenvolve um trabalho relacionando educação e multimídia, mediado pelos quadrinhos desde 1998.

Saiba mais

Lobo Borges, convidado do FIQ!

Lobo Borges

Lobo Borges chegou a se formar em Física, mas mudou de ideia. Fez Design pela Universidade Federal de Pernambuco. Percebeu que sempre quis criar histórias de fantasia, principalmente no estilo mangá. Em 2011, um sonho virou realidade quando começou a trabalhar na produção de Ledd, em parceria com JM Trevisan, Co-Criador do universo Tormenta RPG. Trata-se de um famoso mangá nacional, que foi ambientado no mesmo universo fantástico de Holy Avenger. O quadrinho tem sua publicação online e conta, atualmente, com dois volumes impressos pela Jambô Editora. Também trabalha produzindo ilustrações para a Jambô, além de ser ilustrador na Joy Street, empresa de jogos educacionais de Pernambuco.

Saiba mais

Felipe Assumpção, convidado do FIQ!

Felipe Assumpção

Felipe Assumpção Soares é um garoto cheio de ideias mirabolantes e planos fantasiosos. Formado em Publicidade e Propaganda e Rádio e Televisão pela Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG, nosso convidado desenha oBotamem desde 1999. Felipe é publicitário, rtv, cartunista, animador, ilustrador e modelador 3D. Mas é considerado pela maioria das pessoas, segundo ele, apenas como um mongólico garoto.

Saiba mais

Flix, convidado do FIQ!

Flix

Felix Görmann, conhecido como Flix, nasceu em 1976, em Münster, Vestfália. Mas foi em Saarbrücken que se formou em Design de Comunicação, se especializando em Barcelona. Ensinou desenho na Escola Superior de Belas Artes do Saar e trabalha como desenhista de quadrinhos e ilustrador. Começou sua carreira ao concluir a faculdade. Flix, com 23 anos, precisava fazer seu trabalho de conclusão de curso. Escolheu produzir em formato de quadrinhos. Fez uma autobiografia. Publicada em 2003, sua monografia em formato de quadrinhos levou o títuloHeld, que significa herói. Um ano foi o suficiente para receber seu primeiro prêmio: oMax und Moritz. Primeiro de muitos! O quadrinho foi publicado duas vezes, primeiro em forma de quatro revistas numa editora de tamanho médio e, depois, como livro de bolso compacto numa das gigantes do ramo. O próximo da lista foiSag Was, que significa “diga alguma coisa”, também premiado. Mas foiHeldentage,que significa “diário de um herói”, que chamou novamente a atenção e fez com que ele ficasse conhecido em vários países. Flix só tem um quadrinho publicado no Brasil. Lançado no fim de 2011 por aqui, pela editora Tinta Negra, oQuando lá tinha o muro...conta com 30 histórias curtas sobre os anos de divisão da Alemanha.

Saiba mais

Jão, convidado do FIQ!

Jão

Jão é da nova geração de quadrinistas de Belo Horizonte, já tendo trabalhos publicados pelas editoras nas antologias MSP Novos 50, homenagem a Maurício de Sousa que reuniu artistas convidados para criar releituras da Turma da Mônica, e Imaginários em Quadrinhos, coletânea de obras de fantasia e ficção científica. Jão trabalha de forma independente, e seu novo projeto é o selo Passaporte, que será composto por projetos gráficos artesanais, métodos alternativos de reprodução como a serigrafia, impressão caseira a laser, carimbos, gravuras e formatos pouco tradicionais no mercado editorial.

Saiba mais

Cris Bolson, convidado do FIQ!

Cris Bolson

Cris Bolson nasceu em 1972 e já desenhou muito por aí. Trabalhou como ilustrador publicitário, fez quadrinhos independentes para o mercado nacional e internacional, e deu aulas na área. Bolson foi quem fez os desenhos para a graphic novel Hercules The Knives of Kush e a artefinal para o especial da Marvel AAFES #6. Trabalhou também nas revistas Battlestar Galactica season zero,Red Sonja Deluge, Danger Girl and the Army of Darkness and Damsels in Distress #9, para a Dynamite Entertainment. Junto com outros artistas, ele vai cuidar do Estúdio ao Vivo, espaço tradicional no FIQ onde vários quadrinistas ficam desenhando durante todo o evento. O resultado ficou famoso e teve grande repercussão em vários países.

Saiba mais

Piero Bagnariol, convidado do FIQ!

Piero Bagnariol

Piero Bagnariol é quadrinista e um dos fundadores da revista Graffiti 76% quadrinhos. Ilustrou diversos livros em quadrinhos, como Um dia uma morte, com Fabiano Barroso, pela Coleção 100% quadrinhos; A Divina Comédia com Giuseppe Bagnariol e Odisseia, com Tereza Virgínia Ribeiro Barbosa, pela coleção clássicos em HQ da Peirópolis. É um dos responsáveis pela Oficina Graffiti, que é realizada por meio do pessoal da revista Graffiti 76% quadrinhos, onde vai acontecer um acompanhamento "quadrinho-jornalístico" do Festival.

Saiba mais

Eduardo Damasceno, convidado do FIQ!

Eduardo Damasceno

Começando por Eduardo Damasceno, que já afirma “gosto de fazer quadrinhos, e gosto de fazer quadrinhos acontecerem”. Eduardo é bacharel em produção editorial e acha que isso tem ajudado bastante na hora de editorar livros. "Divertir-se fazendo quadrinhos e torcer para que o resultado divirta as pessoas", esse é o lema do Quadrinhos Rasos. Ele é co-criador, junto com Gomba, também de Achados e Perdidos e o Cosmonauta Cosmo, queserá lançadono dia 28, na Gibiteca de Belo Horizonte. Só mais uma coisa: Achados e Perdidos foi o primeiro quadrinho a ser financiado por meio do Catarse. Trata-se de uma graphic novel que você lê escutando música.

Saiba mais

Rafael Albuquerque, convidado do FIQ!

Rafael Albuquerque

Rafael Albuquerque nasceu em Porto Alegre, onde mora. Começou a fazer quadrinhos em 2003 e, desde então, passou por grandes editoras, como Image Comics e Dark Horse. Antes disso, trabalhou por muito tempo criando peças publicitárias. Decidiu se dedicar a área em 2002 e, um ano depois, já fazia quadrinhos, participando de alguns trabalhos para a AK Comics. Mas foi em 2005 que realmente entrou para o universo de HQs norte-americanas, quando fundou, junto com outros quadrinistas, o PopArt Comics Studio. Entre seus trabalhos, estão Crimeland (Image Comics – 2007),Wonderlost e 24Seven (Dark Horse), Savage Brothers e Pirate Tales(Boom! Studios). Há também Mondo Urbano, lançada de forma independente com mais dois artistas e publicada posteriormente pela Oni Press (2010). Atualmente, desenha principalmente para a DC Comics, onde já trabalhou nos títulos do Besouro Azul, do Robin e na revista Superman/Batman. Mas, recentemente, fez The Uncanny X-Force para a Marvel. Seu trabalho que ficou mais conhecido, e que continua em andamento, é Vampiro Americano (DC Comics/Vertigo, 2010), escrito por Scott Snyder e Stephen King. Recentemente Rafael anunciou que é o novo desenhista da série Homem-Animal, um dos sucessos da DC Comics. Ele vai trabalhar em parceria com o autor Jeff Lemire. Atualmente ele também desenha histórias secundárias na série Batman. É vencedor de prêmios com o Eisner e Harvey.

Saiba mais

Fábio Yabu, convidado do FIQ!

Fábio Yabu

Um artista com 15 anos de carreira. Experiência de sobra para ser um dos grandes convidados do FIQ 2013, né? Nesse tempo, ele criou uma das sequências de quadrinhos mais queridas do Brasil:Combo Rangers. E está de volta! Segundo o site, “nascidos na Internet, em 1998, osCombo Rangersmarcaram a vida da primeira geração digital brasileira. Inicialmente uma paródia de seriados japoneses, os cinco heróis coloridos logo ganharam uma identidade própria e conquistaram uma verdadeira legião de fãs”. Nosso convidado também produziu duas séries de TV:Princesas do MareUnicórnios & Dinossauros. Na literatura, escreveuRaimundo, Cidadão do Mundo, adotado pelo Ministério da Educação para escolas públicas de todo o Brasil. Além disso, e sob o pseudônimo Abu Fobiya, ele lançou 3 best-sellers pelo selo Nerdooks, que sãoBranca dos Mortose os7 zumbis,Independência ou MortoseProtocolo Bluehand: Zumbis.

Saiba mais

Laerte Coutinho, convidado do FIQ!

Laerte Coutinho

Laerte Coutinho é o quadrinista homenageado do FIQ 2013. Conquistou essa honra trabalhando duro, ao longo de décadas de publicações, sempre se reinventando nas tiras, nas páginas, e na vida. Nascido em São Paulo, Participou, nos anos 80, de publicações importantes e influentes, como a revista Balão, que fundou com Luis Gê, além do lendário Pasquim. Também colaborou com a revista Placar, IstoÉ, o jornal Estado de São Paulo e o jornal Folha de S. Paulo, onde publica até hoje. Entre 1990 e 1992, editou e publicou 14 edições da revista Piratas do Tietê. Sua extensa galeria de personagens também inclui o super-anti-heróiOverman, o enigmático Homem-Catraca, o nem-tão-onipotente-assimDeus, o hacker-travesti Hugo/Muriel e os implacáveis Los Três Amigos, uma parceria com Angeli, Glauco e Adão Iturrusgarai. A partir de 2010, Laerte instigou a curiosidade do grande público ao começar a se vestir publicamente com roupas e acessórios que, tradicionalmente, só eram utilizados no Brasil pelas mulheres. Curiosamente, foi isso que o projetou na mídia de todo o país, e não o fato de ser considerado um dos maiores quadrinistas que o Brasil já teve. Laerte é pai do quadrinista Rafael Coutinho.

Saiba mais

Udan, convidado do FIQ!

Udan

Udan é autor da tira Oswaldo Augusto,que já possui dois livros publicados. Você também pode conferir esse trabalho no site oswaldoaugusto.com. Sob a alcunha de "Daniel Pinheiro Lima", ele é conhecido por ser um antigo Mestre das Artes Visuais pela Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG. Em suas horas vagas, perambula afirmando que é professor de Modelagem 3D na PUC‐MG, no curso de Jogos Digitais. Também foi diretor de animação em diversos projetos, recentemente no curta de animação Joana, selecionado no Cine PE e no Anima Mundi. Atualmente nosso convidado é um fervoroso defensor da fauna, flora e do Rod Stweart, que passa os dias desenhando e dando bronca.

Saiba mais

Gabriel Góes, convidado do FIQ!

Gabriel Góes

Idealizador dos projetos SAMBA, Kowalski e F A B I O, Gabriel Góes fez, junto com Arnaldo Branco, as adaptações para quadrinhos de duas obras de Nelson Rodrigues:O Beijo no Asfaltoe O Vestido de Noiva. Já ilustrou para diversos jornais e revistas, como Correio Braziliense, Rolling Stone, Playboy, Galileu e Super Interessante. Em SAMBA, projeto conhecido pela maioria dos fãs de quadrinhos no Brasil, ele edita e produz junto com Lucas Gehre e Gabriel Mesquita. Trabalho que, se você ainda não conhece, consideramos que está perdendo um tempão.Já F A B I O é um projeto que ele realiza em parceria com André Valente. E é bem recente. Eles resolveram criar 100 edições de um zine. Todos com numeração limitada de 100. Daí, um exemplar de cada edição será enviado para o Fabio Zimbres, também convidado do FIQ 2013. A questão é que existem várias regras (estipuladas por eles mesmos). Pode parecer meio maluco. Aliás, pode até ser meio maluco mesmo, mas quem liga? O essencial por aqui é ser legal. Mas você pode tentar entender entrando no site.

Saiba mais

Julia Bax, convidado do FIQ!

Julia Bax

Julia Bax ilustra livros, desenha histórias em quadrinhos e é conhecida no mercado internacional. Cresceu no interior de São Paulo e, atualmente, mora na capital. Nasceu mesmo foi em Belém – Pará, em 1981, mas foi cedo para São José dos Campos, cidade no vale do Paraíba – São Paulo. Trabalhou por um tempo para o mercado americano de quadrinhos, em editoras como Marvel, Devil’s Due e Boom. Além disso, já ilustrou livros e revistas para as maiores editoras do Brasil. Entre elas estão Cia. das Letras, Abril, Moderna, Saraiva e Rocco. Durante dois anos, publicou uma tirinha mensal no caderno Folhateen da Folha de São Paulo. Julia publicou nas revistas Kaos!, X-Men, Planetary Brigade e nos álbunsQuebra-Queixo Technorama Volume 2 e Fim do Mundo em Quadrinhos. Atualmente, está trabalhando em diversos projetos de quadrinhos, não só no Brasil como também com a editora francesa Le Lombard, onde publicou Pink Daiquiri. O álbum, que teve o roteiro feito por Mélanie Théry e Laurent Habart, contou com seus desenhos em conjunto com a também brasileira Amanda Grazini.

Saiba mais

Marcelo Lelis, convidado do FIQ!

Marcelo Lelis

Marcelo Lelis Nascido em Montes Claros, 1967, Minas Gerais, Marcelo Lelis trabalha como ilustrador do jornal Estado de Minas. Além disso, produz ilustrações para livros e histórias em quadrinhos (muitas delas, para editoras estrangeiras). Começou sua carreira em sua terra natal, indo para Belo Horizonte anos mais tarde. É dono de prêmios, como o Troféu HQMix (categorias “Desenhista” e “Novo Talento”) e participações em diversos festivais de quadrinhos, como o Festival Internacional de Angoulême. Entre seus trabalhos mais conhecidos, estão Saino a Percurá (vencedor do HQMix de Edição especial) e Clara do Anjos (lançado no FIQ 2011). Além disso, Lelis terá uma exposição em sua homenagem no FIQ 2013.

Saiba mais

Sonia Luyten, convidado do FIQ!

Sonia Luyten

Sonia Luyten é Doutora em Ciências da Comunicação pela ECA/USP. Ela iniciou, em 1972, na Escola de Comunicações e Arte, o curso de Histórias em Quadrinhos, que permanece até hoje como pioneiro no mundo. De 1984 a 1999, morou no exterior, trabalhando como professora convidada das Universidades de Estudos Estrangeiros de Osaka, em Tóquio e Tsukuba (Japão); da Universidade Real de Utrecht, na Holanda e Universidade de Poitiers, na França. Também foi Editora daRevista Quadrecae fundadora da Associação dos Amigos do Mangá, na década de 1970, tornando-se ABRADEMI em 1984. Organizou em, 1972, a primeira gibiteca e mangateca do Brasil na ECA/USP. Recebeu vários prêmios como: Troféu Romano Calise, na Itália, Prêmio HQ MIX, Prêmio MangaCom e Prêmio Angelo Agostini. Foi professora e Coordenadora do Mestrado em Comunicação da Universidade Católica de Santos (2000- 2005). Foi Presidente do Troféu HQ MIX de 2008 a 2011. É autora dos livrosComunicação e Aculturação,O que é Histórias em Quadrinhos,Histórias em Quadrinhos - leitura crítica,Mangá - o poder dos quadrinhos japoneseseCultura Pop Japonesa: mangá e animê. Além disso, também produziu capítulos em livros e centenas de artigos em jornais e revistas. É colaboradora do site Universo HQ.

Saiba mais

Rafael Coutinho, convidado do FIQ!

Rafael Coutinho

Nascido em São Paulo, tem 32 anos e se formou em Artes Plásticas pela UNESP em 2004. Participou de publicações de quadrinhos nos álbunsBang Bang(Editora Devir – 2005) eContos dos Irmãos Grimm(Editora Desiderata). Em 2010, participou da Mostra Transfer, Ibirapuera (São Paulo – SP). Mesma época em que terminou seu primeiro roteiro de longa-metragem, oSpread,realizado em parceria com o roteirista Peppe Sifredi. Também lançou sua primeira graphic novel, a conhecidaCachalote, da Editora Quadrinhos na Cia, e produzida em parceria com o escritor Daniel Galera. Atualmente desenvolve o projetoFogo Fácil, de sua autoria, em parceria com a produtora Sala12. Em 2013, lançou a segunda parte de sua HQO Beijo Adolescente,além de produzir e atuar com seu pai, Laerte, na peça para o Itaú CulturalAs Jóias. Agora Coutinho trabalha em sua próxima graphic novel, que vai se chamarMensur, e será feita pela Quadrinhos na Cia. A previsão de lançamento é para 2014. Nosso convidado também é o dono da editora independente Narval Comix. Ele é o curador da exposição sobre seu pai, o quadrinista Laerte, homenageado do evento.

Saiba mais

George Pérez, convidado do FIQ!

George Pérez

George Pérez é um quadrinista dos Estados Unidos, famoso por seu trabalho em títulos como Os Vingadores,Jovens Titãs e Mulher Maravilha. Sua carreira começou em 1973, quando assinou a série Sons of the Tiger na extinta revista Deadly Hands of Kung Fu, da Marvel Comics. Depois disso, assumiu o título The Avengers, além de passar pelos Inumanos e o Quarteto Fantástico, com roteiros de Roy Thomas e Marv Wolfman. Em 1980, sem abandonar OsVingadores, assume na rival DC o novo título The New Teen Titans, com roteiro de Wolfman, e logo depois, assume também aLiga da Justiça. Mais recentemente, desenhou The Brave and the Boldpara a DC, com roteiro de Mark Waid. Ele é, inclusive, um dos artistas de Worlds’ Finest. Atualmente, Pérez atua como co-diretor da The Hero Initiative, uma ONG que auxilia quadrinistas do mercado americano.

Saiba mais

Gomba, convidado do FIQ!

Gomba

Gomba, que na verdade se chama Luís Felipe Garrocho, é quadrinista e professor. Já trabalhou com diversas coisas até resolver que faria algo que realmente gosta. Foi assim que percebeu que gostava basicamente de escrever, contar, desenhar, falar sobre, reclamar, ler e dormir em cima de quadrinhos. Ele é co-criador do Quadrinhos Rasos e do Achados e Perdidos em conjunto com Eduardo Damasceno assim como de mais algumas coisas que ainda estão por sair. É também criador do Bufas Danadas. Para ele, divertir-se fazendo algo que irá divertir os outros é razão suficiente para fazer quadrinhos pelo resto da vida.

Saiba mais

Fabiano Barroso, convidado do FIQ!

Fabiano Barroso

Fabiano Azevedo Barroso é quadrinista e arte-educador. Foi editor da revista independente Graffiti 76% quadrinhos entre 1996 e 2012, aonde publicou a maioria dos seus trabalhos. Roteirista do álbum Um dia uma morte (2007), desenhado por Piero Bagnariol, publicou, também em parceria com Piero, o Guia Ilustrado de Graffiti e Quadrinhos (2004). Em 2012, escreveu um artigo para o livro Pescando Imagenscom rede textual: HQ como tradução (Peirópolis). Ele é um dos responsáveis pela Oficina Graffiti, que é realizada por meio do pessoal da revista Graffiti 76% quadrinhos, onde vai acontecer um acompanhamento "quadrinho-jornalístico" do Festival.

Saiba mais

Marcelo Cassaro, convidado do FIQ!

Marcelo Cassaro

Marcelo Cassaro começou sua carreira, em 1985, nos Estúdios Mauricio de Sousa, na divisão de desenhos animados. Em 1989 começou a trabalhar para a Editora Abril/Abril Jovem. Lá, Cassaro fez Zé Carioca e as HQs das séries de TV Japonesa: Maskman, Jaspion, Spielvan,Black Kamen Rider, Changeman eCybercops na revista Heróis da TV. Mais tarde foi para as revistas Progames e Gamers e criou a Revista Dragão Brasil, da qual foi editor por mais de dez anos. Em 2000, Marcelo Cassaro e Rogério Saladino criaram Holy Avenger. Também assinou outras histórias, como Os Trapalhões, U.F.O. Team (de sua autoria) eStreet Fighter Zero, da Editora Trama. Em 2011, a Jambô Editora lançou uma edição especial de DBride Noiva Do Dragão, escrita por Cassaro e desenhada por Erica Awano. Ainda pela Jambô, lançou, junto com Erica Horita, Hero Party

Saiba mais

Cristina Eiko, convidado do FIQ!

Cristina Eiko

Eiko nasce em São Paulo e, em 2005, conheceu Eiko enquanto trabalhavam no longa-metragem de animaçãoAsterix e os Vikings. Ambos já faziam quadrinhos informalmente, há algum tempo, em seus cadernos de rascunhos, com pequenos registros do dia a dia. Foi depois do FIQ de 2009, quando foram pela primeira vez ao Festival, que decidiram: fariam quadrinhos juntos. Com o tempo, passaram a dedicar mais e mais na área. O casal já lançou dois livros doQuadrinhos A2 e um terceiro está a caminho. Paulo lançou o primeiroGnut online e impresso. Também teve uma bem-sucedida campanha de financiamento coletivo para lançar um novo impresso do quadrinho, junto com um jogo em parceria com estúdio de game Miniboss, previsto para o primeiro semestre de 2014. Entre outros projetos e histórias a contar, se soma ainda o simpático mascote do casal. Pino, um cachorro de estimação (da vida real), virou um dos protagonistas das histórias doQuadrinhos A2. Quer acompanhar o trabalho de Crumbim e Eiko, né? Acesseo sitedo casal.

Saiba mais

Guga Schultze, convidado do FIQ!

Guga Schultze

Guga Schultze é pseudônimo de Rodrigo de Linhares Godoy. Nasceu no Rio de Janeiro, no extinto Estado da Guanabara. Isso, de acordo com Guga, foi fundamental para seu interesse pelos antigos quadrinhos, além ajudar na sua formação na área. Morando em Belo Horizonte desde a infância, Guga rabiscava todos os seus cadernos e continua até hoje. Graças à amigos como Nilson, Aroeira, Lor, começou a publicar algumas coisas em zines e até jornais. Lançou o zine Panorama (um número, o zero), A Guerra dos Imundos, fez ilustrações para vários fins, ilustrou livros infantis, fez exposições de pintura e colaborou na revista Graffiti. Além disso, lançou pela revista o álbum Saída 3. Mais recentemente lançou a revista independente O Caos Chupando Manga, esgotada em seus trinta exemplares.

Saiba mais

Jérémie Nsing, convidado do FIQ!

Jérémie Nsing

Nascido na República Democrática do Congo, ele conquistou uma importante posição no cenário de quadrinhos atual. Começou sua carreira em 2001, com a criação de um desenho animado. Desde 2003, passou a ser artista de storyboard, além de ilustrador para revistas e uma agência de publicidade no local. Participou, em 2005, do 5º Salão de quadrinhos de Kinshasa. No mesmo ano, começou a contribuir para publicações coletivas, como o álbumGraines de Pro.Fez parte também do Primeiro Festival de Quadrinhos em Argel, em 2008. Um ano depois, mais uma coletânea contou com seu trabalho, a HQOContoAfricano.Já em 2010, esteve no Primeiro Festival de Quadrinhos e Cinema de Animação Kinshasa, onde lançou uma série de quadrinhos voltada para as escolas, oTchoutchou. Outro evento no qual compareceu como convidado foi no 8º Festival de Quadrinhos de Luanda, em Angola. Na ocasião, Jérémie teve uma exposição exclusiva dentro do evento. Nesse ano, ele foi convidado para fazer parte do projeto de desenho animado Papa NZENU, produzido na Argélia. Também vai expor na Tunísia.

Saiba mais

Will Conrad, convidado do FIQ!

Will Conrad

O quadrinista Will Conrad é mineiro, nascido em Belo Horizonte, onde vive até hoje. Trabalhou durante vários anos como ilustrador, mas a partir de 2001 passou a trabalhar exclusivamente para o mercado norte-americano de quadrinhos. Durante esse período, já desenhou para diversas editoras como Top Cow, Dark Horse, Dynamite, Marvel e DC. Entre suas publicações estão títulos conhecidos comoSerenity, Wolverine, X-Men, New Avengers, Teen Titans, Outsiders, Stormwatch e Red Lantern. Atualmente, Will Conrad está trabalhando em Nightwing para a DC Comics.

Saiba mais

Jok, convidado do FIQ!

Jok

Jok Coglitore é um desenhista, escritor e colorista nascido em Buenos Aires, Argentina. Seu trabalho vem sendo publicado nos Estados Unidos, Reino Unido, Canadá, Itália, França, Espanha, Brasil e Argentina. Iniciou sua carreira em 1993 publicando de maneira independente, e por volta de 2003 de maneira profissional. Jok já trabalhou com os mais diversos gêneros, sempre misturando e juntando todos eles (de histórias de crimes, fantasia e ficção científica até terror e histórias para toda a família). Ele gosta de trabalhar em equipe desenvolvendo seus projetos pessoais com amigos e também aprecia trabalhar contratado por editoras. Pau pra toda obra! Participa da exposição "Ícones dos Quadrinhos" com o personagem Cavaleiro Solitário. Segundo ele: “Eu me recordo de assistir à série do Cavaleiro Solitário quando estava no jardim da infância. Eu costumava vestir um chapéu, máscara e cinto. Se Kemosabe poderia ser outra pessoa por trás da máscara, eu também poderia me tornar outra pessoa ao acompanhar suas aventuras. É isso que as histórias fazem conosco. A máscara é nossa janela para a aventura.”

Saiba mais

Salvador Sanz, convidado do FIQ!

Salvador Sanz

Salvador Sanz: os quadrinhos desse talentoso argentino misturam fantasia, seres imaginários, terror e realidades distorcidas. Nascido em 1975, coleciona títulos conhecidos não só na Argentina, como por aqui e no mundo. Entre as publicações, estão a revista franco-argentina Ex Abrupto, a Sudamérika(antologia de autores do Mercosul ) eÁngela Della Morte para, que viria a ser publicada no Brasil posteriormente. É autor também das graphic novelsLegión (2006) e Desfigurado (2007). Entre seus lançamentos de maior repercussão, há Noturno, publicado no Brasil por meio da Zarabatana Books, em 2011. Mas a história originalmente teve seus capítulos como parte da revista Fierro, também lançada por aqui pela Zarabatana. Em dezembro de 2012, lançou por aqui, novamente pela Zarabatana Books, uma (muito) esperada graphic novel: a Angela Della Morte. Mas ele não fica só nos quadrinhos. Já produziu animações. Dirigiu, por exemplo, o curta El Inivisor. Ganhou até prêmio por trabalhos nessa área. Sua animação Gorgonas foi a vencedora do prêmio de curta-metragem da San Diego Comicon, em 2006. Além de tudo isso, ele dá aulas sobre quadrinhos, e trabalha com cinema e publicidade.

Saiba mais

Shiko, convidado do FIQ!

Shiko

Também conhecido por Derby Blue, Shiko nasceu na Paraiba, em março de 1976. Ele já teve trabalho em capas de discos e livros, tatuagens, anúncios, em exposições, grafites e, claro, quadrinhos. Ficou em Patos, interior da Paraíba, por 18 anos. Depois, mudou-se para João Pessoa. Após trabalhar no mercado publicitário, José Souto Leite passou a ser chamado por pelo nome artístico que usa até hoje. Na área de quadrinhos, começou editando e publicando a revistaMarginal Zine, que ganhou coletânea pela Marca de Fantasia. No ano pas­sado fez a adaptação deO Quinze, escrito por Raquel de Queiroz. Se mudou para a Itália como uma forma de acompanhar sua esposa, que faz mestrado por lá. Shiko já fez pequenas mostras em Lyon e no Salão do Livro de Paris, ambas na França, além de ter participado de exposições em Florença. Como integra a Cooperativa de curtas-metragens com sede na Paraíba, ele pretende voltar em breve para o local. Além disso, outro vinculo com o Brasil é grande: uma das graphic novels MSP. Shiko vai fazer a história sobre Piteco, um dos per­so­na­gens de Maurício de Sousa.

Saiba mais

Ryot, convidado do FIQ!

Ryot

Ricardo Yoshio Okama Tokumoto, ou Ryot, nasceu em 1986 na cidade de Limeira, interior de São Paulo. Mudou-se pra Belo Horizonte em 2006 onde cursou a faculdade de Belas Artes na UFMG, com bacharelado em Cinema de Animação. É responsável pelo site Ryotiras, além de fazer quadrinhos pra revista MAD e outras publicações esporádicas. Faz parte do coletivo Pandemônio e também trabalha como ilustrador em vários setores, principalmente na área de Livros Infantis.

Saiba mais

Fabio Zimbres, convidado do FIQ!

Fabio Zimbres

Fabio Zimbres é quadrinista, desenhista, ilustrador, diretor de arte para animação, designer gráfico e editor. Chegou a estudar arquitetura na USP, onde, em 1986, teve sua primeira experiência com quadrinhos: a revistaBrigitte. Formou-se em Artes Plásticas, pelo Instituto de Artes da UFRGS, e nunca mais parou. Zimbres fez parte da equipe que criou e editou a revista Animal. Passou a colaborar com veículos, como A Folha de São Paulo e a Chiclete com Banana. Participou de diversos periódicos nacionais e internacionais, como o Zero Hora (1994, RBS, Porto Alegre, RS), Le Dernier Cri (1995, Paris, França), e Le Monde Diplomatique Brasil (2011, São Paulo, SP). Quadrinhos como Panamá, o Las Aventuras de Mis Siete Tíos (como ilustrador), Música para Antropomorfos, Feliz eVida Boa são de sua autoria. Entre seus prêmios estão alguns HQMix: de Revista Mix no 1º, 2º e 3º (Revista Animal, 1990-1992), Projeto Editorial no 10º (coleção MiniTonto, 1998) e Projeto Editorial no 11º (revista Olho Mágico, 1999).

Saiba mais

Eduardo Pansica, convidado do FIQ!

Eduardo Pansica

Eduardo Pansica nasceu no ano de 1981, na cidade de São Paulo. Em 1997 mudou-se para Belo Horizonte onde começou a estudar Arte Sequencial pela Escola de Artes Visuais Casa dos Quadrinhos. Graduou-se em Cinema de Animação pela Escola de Belas Artes da UFMG, em 2008. Assim como Bolson, ele também já trabalhou com ilustração publicitária. Começou a ilustrar para o mercado norte-americano a partir de 2005, e desde 2009 vem desenhando para a editora DC Comics, onde participou de diversos títulos. Entre eles estão Blackest Night Wonder Woman, Blackest Night JSA, Superman: War of the Supermen, Wonder Woman Odyssey, Teen Titans, Deathstroke, Stormwacth, Superboy, entre outros. A partir de 2013, assumiu o quadrinho Batwing, que faz parte dos Novos 52(reformulação dos Universo DC Comics que se iniciou em 2011). Junto com outros artistas, ele vai cuidar do Estúdio ao Vivo, espaço tradicional no FIQ onde vários quadrinistas ficam desenhando durante todo o evento.

Saiba mais

Ig Guara, convidado do FIQ!

Ig Guara

Ig Guara conta que sempre foi encantado pela mídia dos quadrinhos por acreditar que nesse universo há possibilidades infinitas. Nosso convidado aprendeu a ler, como muitos, por meio dos gibis. Dessa forma, com apenas 12 anos, Ig Guara já sabia o que queria fazer no futuro. Nem é difícil adivinhar, né?! Desde então, começou a perseguir esse sonho. Apesar das dificuldades, depois de trabalhar como ilustrador de fantasia, além de alguns pequenos trabalhos de quadrinhos para pequenas editoras americanas, finalmente foi chamado para seu primeiro trabalho pra Marvel. Desde então, passou a trabalhar para grandes editoras, participando de títulos como Pet Avengers, o relançamento do Blue Beetle nos Novos 52, e a recriação do Green Team. Junto com outros artistas, ele vai cuidar do Estúdio ao Vivo, espaço tradicional no FIQ onde vários quadrinistas ficam desenhando durante todo o evento.

Saiba mais

Geoff Johns, convidado do FIQ!

Geoff Johns

Geoff Johns é um dos roteiristas mais populares dos quadrinhos contemporâneos, autor de histórias de famosos personagens, como Super Homem, Lanterna Verde, Flash, Novos Titãs e Liga da Justiça. Nascido em Detroit, nos Estados Unidos, estudou na Universidade Estadual de Michigan. Após se mudar para Los Angeles, trabalhou como estagiário e, depois, como assistente de direção de filmes de Richard Donner, diretor de Super Homem: O filme, Os Goonies e Teoria da Conspiração. Começou sua carreira nos quadrinhos publicando em diversas editoras e até na Marvel. Quando foi chamado para a DC, ele escreveu Stars and S.T.R.I.P.E e não parou mais. Foi nomeado para o cargo de chief creative officer, algo como um diretor criativo, da recém-formada DC Entertainment. Entre seus prêmios estão Wizard Fan Award, por Talento de 2002 e Escritor do Ano em 2005, 2006, 2007 e 2008. Ele ganhou o Spike TV Scream Award por Melhor Escritor de Quadrinhos em 2010. Além disso, também foi nomeado pelo Eisner Award como Melhor Escritor.

Saiba mais

Julian Totino, convidado do FIQ!

Julian Totino

Julian Totino Tedesco mora em Buenos Aires, onde nasceu em 1982. Aluno dos artistas Ariel Olivetti e Juan Bobillo, ele começou trabalhando com animação e publicidade, e foi ilustrador de revistas locais. Em 2009, começou a colaborar com o mercado de quadrinhos norte-americano e desde então tem feito capas e páginas para editoras como BOOM! Studios e Kickstart Comics. A partir de 2011, começou a trabalhar quase exclusivamente para a Marvel Comics, fazendo páginas internas (Venom, Fabulosa X-Force) e capas (Northanger Abbey, Season One, John Carter,Fabulosa X-Force, FF, Thunderbolts e outros). Participa da exposição "Ícones dos Quadrinhos" com o personagem Eternauta. Segundo ele: "“Dado o contexto de uma exposição internacional, considerei que faria mais sentido escolher um personagem do meu país. El Eternauta é um dos quadrinhos mais famosos da Argentina e sua imagem é usada até hoje como ícone. Tem estêncils de seu rosto por toda a cidade. A trama é relacionada a um momento sangrento da história do nosso país”.

Saiba mais

​Peter Kuper, convidado do FIQ!

​Peter Kuper

Peter Kuper: Co-fundador da revista política World War 3 Illustrated, escreve e desenha as histórias de Spy vs Spy, desde 1997, publicadas na revista Mad. Possui mais de 20 álbuns, incluindo O Sistema,Desista! e uma adaptação de A Metamorfose, de Franz Kafka. Ministra aulas de quadrinhos, em Nova Iorque, há mais de 25 anos e é professor visitante da Harvard University. Também produziu capas para as revistas Time, Newsweek, Businessweek e The Progressive. Publicou sua tira (Eye of the Beholder) no jornal The New York Times e, desde 1988, é co-diretor artístico do grupo de ilustradores que quadrinhos políticos INX. Além de convidado, o quadrinista participa da exposição “Ícones dos Quadrinhos”, que reúne 100 interpretações de personagens clássicos feitas por 100 artistas diferentes. O personagem escolhido por Peter foi Mickey Mouse.

Saiba mais

Yildiray Cinar, convidado do FIQ!

Yildiray Cinar

Em 1997, Cinar participou da criação de um coletivo de edição de fanzines fotocopiados chamado Capa Comics, da Turquia, com o qual ainda colabora esporadicamente. Embora permaneça em Istambul, Cinar começou a produzir para o mercado norte-americano de quadrinhos. Primeiro fez contato com a Digital Webbing Press e ilustrou histórias de Nothingface e Fist of Justice, que saíram em edições da antologia Digital Webbing Presents. Depois ele trabalhou na série de Jay Faerber na Image chamada Noble Causes, na qual foi o desenhista oficial a partir da edição 27. Depois de trabalhar na série Novos Titãs, da DC Comics, virou artista oficial da Legião dos Super-Heróis, que estreou em 2010 com o roteirista veterano Paul Levitz. Entre seus créditos também estão Nuclear, Melhores do Mundo e Terra 2. Ele participa da exposição "Ícones dos Quadrinhos" com o personagem Surfista Prateado. Segundo ele “John Buscema é uma das inspirações eternas na minha arte. Esta capa é uma das imagens que eu tenho de mais icônica desde a minha infância”.

Saiba mais

Fabio Cobiaco, convidado do FIQ!

Fabio Cobiaco

Nascido em 1969, na Praia Grande, em São Paulo, Cobiaco publicou sua primeira tira na seção dos leitores da revistaChiclete com Banana, em 1986. Ele então aproveitou os anos seguintes para aprender os fundamentos da profissão, trabalhando em estúdios e redações de jornal. A partir daí, lançou-se no mercado no início dos anos 90. De lá para cá, publicou diversos quadrinhos e ilustrações em revistas e livros das maiores editoras brasileiras e dos EUA, como Cityzen Press, Terra Major e Dark Horse. Enquanto isso, nosso convidado colaborava numa série de curtas e longas de animação como Diretor de Arte e Artista de Conceito. No final de 2012, lançou, em parceria com os escritores Eric Acher e Ronaldo Bressane, a graphic novelV.I.S.H.N.U, pelo selo de quadrinhos na Cia. Das Letras. Atualmente, Cobiaco mora no litoral paulista e divide com o filho Pedro, também quadrinista, o selo independenteOficina Cobiaco. O primeiro lançamento foi a revista LOKI, cujo segundo número será lançado no FIQ deste ano, assim como o novo trabalho de Fabio: a revistaSociedade Lunar.

Saiba mais

​Erica Awano, convidado do FIQ!

​Erica Awano

Erica Awano é formada em Letras pela Universidade de São Paulo. Iniciou sua carreira profissional em 1998 com a minissérieStreet Fighter Zero, da Editora Trama. Em 1999 desenhou a revistaHoly Avenger, pela Editora Trama/Talismã, projeto este que durou três anos e meio, totalizando 42 edições. A série foi bicampeã do Troféu HQ Mix em 2001 e 2002 na categoria "Revista Seriada". Em 2007,Holy Avengerficou entre os finalistas da primeira edição do Prêmio Internacional de Mangá, realizado no Japão. Também fez participações em coletâneas como oMangá Tropical(Via Lettera, 2003),25 anos do Menino Maluquinho(Editora Globo, 2005) eMSP50(Panini Comics, 2009), comemoração dos 50 anos de carreira de Maurício de Sousa. Entre 2005 e 2007, retomando a parceria com Marcelo Cassaro, desenhou a sérieDBrideque vinha encartada na revista deRPG Dragon Slayer. Recentemente a versão encadernada foi lançada por meio da Jambô Editora. No mesmo período participou da minissérieEthora, A Donzela de Ferro(Editora Kanetsu). Atualmente trabalha para o mercado exterior, além de fazer ilustrações para jogos de RPG do universo de Tormenta (Holy Avenger, Ed. Jambô). Entre alguns dos trabalhos estãoWarcraft Legends 5 (TokyoPop) eThe Complete Alice in Wonderland(Dynamite), este, com roteiros de Leah Moore e John Reppion.

Saiba mais

Rod Reis, convidado do FIQ!

Rod Reis

Rod Reis Colorista de quadrinhos desde os anos 90, seus primeiros trabalhos no Brasil foram para Editora Trama, com material de RPG e quadrinhos como Mortal Combat e Holy Avenger. Mais tarde, começou a trabalhar para o mercado americano com Dragonlance: The Legend of Huma, para a editora Devil’s Due e, logo em seguida, para a DC Comics, na revista Superman. Atualmente é colorista regular de Liga da Justiça e Aquaman.

Saiba mais

Marcelo Costa, convidado do FIQ!

Marcelo Costa

Ilustrador e quadrinista, lançoucom o irmão gêmeo Magno Costa as HQs OesteVermelho e Matinê, ganhando o Trofeu HQ Mix de desenhistas revelação. Participou do projeto Gazzara de Rafael Coutinho e QQ por Amigos de Marcelo Campos. Outras publicações estão nos planos para esse ano.

Saiba mais

André Diniz, convidado do FIQ!

André Diniz

André Diniz é roteirista e desenhista de HQs. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, mas atualmente reside em São Paulo. Possui uma editora própria, a Nona Arte. Por meio dela, publicou trabalhos, de 2000 a 2005, quando passou a publicar suas obras através de outras editoras, como Record, LeYa, Conrad, Devir e Escala Educacional. Entre seus quadrinhos mais conhecidos, estãoFawcett, 7 Vidas, O Quilombo Orum Aiê, A Cachoeira de Paulo Afonso eMorro da Favela, que foi lançado em 2011, pelas editoras Barba Negra e LeYa. Já recebeu 16 prêmios, entre eles três troféus HQ Mix de melhor roteirista. Atualmente, é professor de roteiros na Quanta Academia de Artes, em São Paulo. Está trabalhando em uma adaptação para quadrinhos de O Idiota, livro de Dostoievski, que tem quase 700 páginas, além de uns 140 anos.

Saiba mais

Jal, convidado do FIQ!

Jal

José Alberto Lovetro, conhecido como Jal, começou a fazer quadrinhos cedo. Com 15 anos, criou um fanzine na escola. Seus primeiros trabalhos na área foram publicados pela Folha de São Paulo, em 1973. Trata-se de um personagem de quadrinhos chamado Zélio, o Repórter. Depois publicou em diversos lugares, que vão de revistas à televisões. Alguns exemplos: Editora Abril (revista Crás), TV Tupi, jornal The Brazilians, da comunidade brasileira em NY. Também teve participação no O Pasquim, na TV Cultura (Programa Catavento), Editora Ebal (revistas Klik e Gripho), Editora Press (Monga), TV Bandeirantes e em diversos outros lugares que nem caberia aqui. Jal também é um dos criadores de um dos principais troféus de quadrinhos do Brasil: o famoso Troféu HQMix

Saiba mais

Fábio Coala, convidado do FIQ!

Fábio Coala

Fábio Coala é quadrinista, ilustrador e um provável comedor de folhas de eucalipto. Nascido em Guarujá, litoral de São Paulo, Coala tem 34 anos e é formado em Publicidade. Publicou a primeira tirinha aos 15 anos e, 19 anos depois, vive disso. No seu site, o Mentirinhas, que nasceu em 2010, há publicações de tiras diárias, charges e HQs. Em fevereiro desse ano financiou, via Catarse, sua primeira Graphic Novel. Em 26 horas, o projeto já havia sido financiado. Em 3 dias, todas as opções de contribuição estavam esgotadas. Trata-se, segundo Coala, de um gibizão, com uma história inédita do Monstro, um de seus personagens recorrentes no Mentirinhas. Serão aproximadamente 240 páginas. Dessas, 180 serão de história e o restante será composto de extras. O lançamento é em setembro desse ano.

Saiba mais

Wellington Srbek, convidado do FIQ!

Wellington Srbek

Wellington Srbek nasceu em Belo Horizonte, em 1974. É roteirista, editor, tradutor, professor e pesquisador de quadrinhos. Tendo estudado desenho artístico, entre 1993 e 1995 lançou seus primeiros fanzines. De 1995 a 1998, trabalhou como crítico de quadrinhos para jornais de BH. Já entre 1995 e 1996, produziu um quadro sobre histórias em quadrinhos para um programa de TV local. Também em 96, lançou sua primeira revista: a Solar, que seria substituída pela série Caliban, publicada entre 1997 e 1998. Nos anos que se seguiram, produziu diversos álbuns e edições especiais, como os premiados Estórias Gerais e Fantasmagoriana. Formado em História, ele é mestre e doutor em Educação pela UFMG. Entre 2004 e 2010, dedicou-se a um curso livre de histórias em quadrinhos. Ganhador de diversos prêmios nacionais, como os troféus HQ MIX e Angelo Agostini, atualmente ele coordena a Editora Nemo do Grupo Editorial Autêntica.

Saiba mais

Eber Ferreira, convidado do FIQ!

Eber Ferreira

Eber Ferreira é natural de Manaus (AM), mas mudou-se para Belo Horizonte e conheceu os artistas (e convidados do FIQ 2013) como Eduardo Pansica, Cristiano Bolson, Júlio Ferreira, Rodney Buchemi, IG Guara entre outros. Entrou para o mercado de quadrinhos como arte finalista, trabalhando em Indiana Jones pela Dark Horse. Mas foi no FIQ 2009 que um encontro com Joe Prado o levou para DC comics, onde trabalhou em vários títulos como Blackest Night, Wonder Woman, Superman e atualmente trabalha em Justice League of America.

Saiba mais

Fábio Moon, convidado do FIQ!

Fábio Moon

Fábio Moon e Gabriel Bá são irmãos gêmeos e nasceram em 1976, em São Paulo. Publicaram seu primeiro fanzine de histórias em quadrinhos em 1993. Formados em Artes Plásticas (pela FAAP e pela ECA-USP, respectivamente), criaram em 1997 o fanzine 10 Pãezinhos, que recebeu o prêmio HQ Mix de melhor fanzine e de artistas revelação em 2000, ano em que lançaram seu primeiro livro, “O Girassol e a Lua”. Por quase 20 anos, os dois têm produzido quadrinhos para o mercado brasileiro e para o mercado americano. Eles estão entre os quadrinhistas brasileiros mais reconhecidos da atualidade e seus trabalhos foram publicados em treze idiomas ao redor do mundo. Seu último livro, Daytripper, estreou em primeiro lugar na lista de mais vendidos do New York Times, foi escolhido como uma das dez melhores Graphic Novels de 2011 pela Publishers Weekly e pela Amazon.com, além de ter sido premiado com os prêmios Eisner e Harvey Awards (nos EUA), Eagle Awards (no Reino Unido) e Les Utopiales (na França).

Saiba mais

Petra Leão, convidado do FIQ!

Petra Leão

Petra Leão é formada em Educação Artítica pela Fundação Armando Álvares Penteado – FAAP. Começou a trabalhar como roteirista de quadrinhos em 2000, na editora Talismã, onde ficou, até 2004, como roteirista colaboradora em Holy Avenger, Dado Selvagem, Victory II e Mercenário$, além de redigir matérias ocasionais para a Dragão Brasil e Anime. A partir de 2006, até 2007, foi redatora da revista informativa Animation Invaders, da editora Europa. Nesse meio tempo, a Victory parte I e II foi publicada nos EUA pela Image Comics. Em 2008, Petra começou a trabalhar na Mauricio de Sousa Produções, escrevendo para a Turma da Mônica Jovem. Inclusive, em 2012, assinou a edição da TMJ que faz crossover com Safiri, Kimba e Astroboy, personagens de Osamu Tezuka, o famoso criador dos mangás.

Saiba mais

Eduardo Risso, convidado do FIQ!

Eduardo Risso

Eduardo Risso nasceu na Argentina, em 1959, mas tem seu trabalho conhecido em todo o mundo. Em mais de 20 anos de trabalho, o hermano já desenhou para diversas editoras. Começou sua carreira em 1981, fazendo ilustrações para o jornal La Nación e várias revistas. Alguns anos depois, em 1987, Risso colaborou para Parque Chas, escrito por Ricardo Barreiro, e publicado na Fierro(Argentina). Foi esse seu primeiro trabalho com quadrinhos e já teve tradução para outra língua: francês. Ao longo de sua carreira, também trabalhou com o famoso Carlos Trillo, fazendo uma importante parceria que rendeu diversos projetos. Um de seus recentes trabalhos foi em Antes de Watchmen, com Moloch, minissérie em dois capítulos com o vilão dos Minutemen. Sua parceria com Azzarello começou em 1998, com Jonny Double, uma pequena série para a DC. Já em 1999, os dois começaram a trabalhar em 100 Balas, do selo Vertigo, também da editora DC. Fizeram também um quadrinho do Batman, intituladoBroken City. Mas foi realmente 100 Balas que rendeu, aos dois, muito prêmios. Entre eles, Eisner, Harvey e Yellow Kid.

Saiba mais

Marcelo d´Salete, convidado do FIQ!

Marcelo d´Salete

Marcelo d´Salete estudou Design Gráfico, é graduado em Artes Plásticas e mestre em História da Arte. Publicou diversas histórias em quadrinhos nas revistasFront,Graffiti,Quadreca,Suda Mery k, da Argentina,Contos Bizarros,+SomaeStripburger, da Eslovênia. Nosso convidado já participou de diversos eventos da área, como a exposição Consecuencias do Injuve, na Espanha, em 2002. Também marcou presença no FIQ de 2003 e na exposição Ilustrando em Revista, da Editora Abril. Participou, em 2008, do Festival Viñetas Sueltas – Primer Festival Internacional de Historietas de Buenos Aires, Argentina. Esteve, inclusive, no I Festival Internacional de La Bande Dessinée d’Alger, Argélia, 2008. Além disso, expôs no 7º Festival Internacional de Banda Desenhada e Animação - Luanda Cartoon de 2010. Em 2008, Marcelo d´Salete publicou o álbumNoite Luz, de 112 páginas, pela editora Via Lettera. O quadrinho conta com seis histórias de sua autoria. Esse mesmo livro também foi publicado na Argentina pela editora Ex-Abrupto. Em julho de 2011 ele lançou o álbumEncruzilhada, de 124 páginas, pela editora Leya (selo Barba Negra).

Saiba mais

Boulet, convidado do FIQ!

Boulet

Boulet tem diversas publicações que vão além da França, alcançando Estados Unidos, Suécia e Rússia. Gilles Roussel, seu verdadeiro nome, tem 38 anos e nasceu em Meaux, na França, ao lado de Paris, onde vive atualmente. Estudou na Escola de Belas Artes de Dijon e, em seguida, na Escola Nacional de Artes Decorativas de Estrasburgo. Atualmente possui mais de 20 quadrinhos publicados. Em 2004, começou a mostrar seu trabalho na internet, quando criou o site bouletcorp.com. No Brasil, Boulet ficou famoso depois que participou de um desafio. Precisava fazer um quadrinho em 24 horas. O resultado ficou famoso e teve grande repercussão em vários países.

Saiba mais

Dave Johnson, convidado do FIQ!

Dave Johnson

Dave Johnson é um ilustrador americano, que faz quadrinhos, mas é mais conhecido internacionalmente como um dos maiores especialistas em design de capas da atualidade. Seu trabalho mais famosos no Brasil são as 100 capas da série 100 Balas, de Eduardo Risso e Brian

Saiba mais

Vitor Cafaggi, convidado do FIQ!

Vitor Cafaggi

Vitor Cafaggi começou a fazer quadrinhos em 2008, quando criou a webcomic Puny Parker, produzindo histórias da infância do menino que se tornaria o Homem-Aranha. De lá pra cá nosso convidado não parou mais. Participou das coletâneas Pequenos heróis, MSP50 e Fierro Brasil 2. Também laçou, de forma independente, os quadrinhos Valente Para Sempre,Duotone e Valente Para Todas. O Valente, aliás, é um personagem, criado pro Vitor, que vive os dilemas amorosos da adolescência e que está nas tiras dominicais no jornal O Globo. Vitor venceu um Troféu HQMix de Novo Talento – Roteirista em 2012 e outro de Melhor Publicação de Tiras em 2013. Sua publicação mais recente foi Turma da Mônica – Laços, que fez com a irmã Lu Cafaggi. O roteiro e a arte ficaram por conta dos Cafaggi, a edição por Sidney Gusman, e publicação pela Maurício de Sousa Produções e Panini. Vitor vai aproveitar o FIQ para lançar Valente Por Opção, o terceiro livro da série Valente.

Saiba mais

Hélder Moreira, convidado do FIQ!

Hélder Moreira

Hélder Moreira: com carreira sólida no mercado norte-americano, onde residiu e exerceu vários ofícios, o escultor Hélder Moreira, natural e residente de Belo Horizonte, é o primeiro brasileiro a esculpir os personagens de uma das maiores campanhias de entretenimento do mundo, a Marvel Comics pela Bowen Designs. Trabalhou a modelagem de personagens como Homem de Ferro,Thor e Capitão América. A escultura do personagem Destruidor, do universo asgardiano de Thor, foi utilizada como base para o design do personagem do filme do deus nórdico, dirigido por Kenneth Branagh. Junto com outros artistas, ele vai cuidar do Estúdio ao Vivo, espaço tradicional no FIQ onde vários quadrinistas ficam desenhando durante todo o evento.

Saiba mais

Eddy Barrows, convidado do FIQ!

Eddy Barrows

A começar por Eddy Barrows, que iniciou sua carreira em 1997, trabalhando para várias editoras de Belo Horizonte e fazendo ilustrações para livros didáticos, infantis, técnicos e para agências de publicidade. Conseguiu o seu primeiro trabalho na editora Chaos! Comics, desenhando a revista Stone Cold (Steve Austin). Foi uma porta aberta para outros que viriam. Em seguida, ainda na mesma editora, trabalhou em edições como Chastity, Chyna e Lady Death. Depois disso desenhou para outras editoras até que conseguiu uma chance na DC. Ao longo dos anos como desenhista, Barrows já conquistou diversos prêmios.

Saiba mais

Ric, convidado do FIQ!

Ric

Cartunista e professor de artes, Ric é responsável pelo site de charges e cartuns nanquim.com.br, no ar desde 2003. É também presidente e membro fundador da Associação Cultural Nação HQ, entidade de quadrinhos criada em 2004 que trabalha na formação, pesquisa e realização de eventos de quadrinhos em Minas Gerais. Além disso, ele é o atual editor do site quadrinho.com, que esse ano completa 15 anos no ar. Ric é Graduado em Licenciatura em Desenho e Plástica, na Escola de Design da UEMG e fez Pós-Graduação em Projetos Editorias Impressos e Multimídia, no Centro Universitário UMA.

Saiba mais

Gustavo Duarte, convidado do FIQ!

Gustavo Duarte

Gustavo Duarte nasceu em São Paulo, em 19 de Maio de 1977, e mudou-se para Bauru em 1985. Começou sua carreira no Diário de Bauru, produzindo trabalhos de 1997 a 1999. Foi chargista do Lance! durante 12 anos. Formado em Design Gráfico pela Unesp, também trabalhou na editora Abril, além de colaborar com as principais revistas e jornais do país. Em novembro de 2009, lançou CÓ!, sua primeira HQ, de maneira independente. Depois veio seu segundo quadrinho: Taxi. Em 2011, ele nos presenteou com Birds, que teve seu primeiro lançamento na San Diego Comic Con. E, para fechar a conta, Gustavo viu seu último trabalho transforma-se em sucesso. Monstros foi lançado por meio da Companhia das Letras. Ganhou cinco HQMix (Desenhista Revelação por CÓ, Publicação Independente Edição Especial por CÓ, Melhor Caricaturista por Birds, Melhor Publicação Independente de Autor por Birds, Melhor Publicação de Terror/Aventura/Ficção por Birds) e, nesse ano, mais duas indicações por Monstros (Desenhista Nacional e Roteirista Nacional).

Saiba mais

S. Lobo, convidado do FIQ!

S. Lobo

Sua carreira começou em 1991, quando foi estagiário de Heitor Pitombo, Rick Goodwin, Caco e Patati na Bienal de Quadrinhos do Rio de Janeiro. Depois de se formar em Publicidade, trabalhou durante muitos anos como Diretor de Arte. Em 1999, ganhou o primeiro lugar do Salão Carioca de Humor comBingulu - O Homem Mais Engraçado do Mundo, quadrinho com seu roteiro e desenhado por Caco. Em 2003, veio a conhecidaMosh!. Já em 2006, foi Editor de Quadrinhos e Coordenador Editoral da Editora Desiderata. Também em 2009, foi lançado, pela editora Desiderata, o álbumCopacabana, com roteiro dele e desenhos de Odyr Bernardi. Lobo também atuou como Diretor e Editora da editora Barba Negra, e começou em 2010 e foi até 2012. Associada à Editora Leya, a Barba Negra ganhou o HQ MIX de melhor editora, em 2011. Lobo foi ainda Diretor doRio Comicon. Atualmente, ele é Diretor e Coordenador do Espaço ASIMOV, um ambiente voltado para o ensino de histórias em quadrinhos, roteiro e desenho. O Espaço ministra oficinas em Porto Alegre, Rio de Janeiro, Curitiba e São Paulo para clientes como FLUP (Festa Literária Internacional nas UPPs), FIM (Fim de Semana do Livro no Porto), Porto Novo, SESC e Secretaria de Educação do Município de Rio de Janeiro.Lobo estará no FIQ e uma de suas participações vai ser na Rodada de Negócios de Quadrinhos, a primeira do Brasil.

Saiba mais

Daniel HDR, convidado do FIQ!

Daniel HDR

Daniel HDR é desenhista, ilustrador, designer e publicitário. Nascido em Porto Alegre, começou a trabalhar como desenhista profissional com 14 anos. Suas primeiras publicações ocorreram em revistas com espaço para arte dos leitores. Estreou na Image Comics. Passou a prestar serviço remunerado como desenhista para editoras como Press e D´Arte. Fez, junto com o escritor Brian Pulido, a mini-série do filme Texas Chainsaw Massacre, publicada pela Avatar Press. Trabalho que foi indicado ao prêmio TV Scream Awards como a melhor adaptação de cinema para quadrinhos. Posteriormente, trabalhou na Marvel Comics como artista de especiais dos Vingadores, Homem de Ferro e Red Sonja. Já na Dark Horse fez a conhecida adaptação de Digimon. Tantos desenhos o levaram a ser chamado pela DC Comics, onde passou a publicar, a partir de 2010, os títulos Legião dos Super-Heróis, Mulher Maravilha e R.E.B.E.L.S..

Saiba mais

Duke, convidado do FIQ!

Duke

Eduardo dos Reis Evangelista, mais conhecido como Duke, nasceu em 1973, em Belo Horizonte, MG. É formado em Cinema de Animação pela Escola de Belas Artes da UFMG. Assina as charges diárias dos jornais O Tempo e Super Notícia. Também é editor da página de jogos e diversão do caderno infantil Tempinho e da página de quadrinhos, jogos e entretenimento Supimpa. Colabora com a Revista CNT, Transporte Atual, publicando cartuns. Em 2009, recebeu o troféu HQMIX como melhor cartunista brasileiro de 2008. É um dos organizadores do BH Humor, salão Internacional de humor Gráfico de Belo Horizonte.

Saiba mais

Lucas Libanio, convidado do FIQ!

Lucas Libanio

Lucas é graduado em Cinema de Animação pela Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG. Cartunista, ilustrador e animador, ele é também professor desde 2003. Suas tiras, de título Hans Grotz, são conhecidas em Minas desde 2007, quando passaram a ser publicadas pelo jornal Super. Nosso convidado também é o autor do quadrinho Hans Grotz - Opiniões Descartáveis, lançado em 2012, em Curitiba.

Saiba mais

Paulo Crumbim, convidado do FIQ!

Paulo Crumbim

Crumbim nasceu em Santos e, em 2005, conheceu Eiko enquanto trabalhavam no longa-metragem de animaçãoAsterix e os Vikings. Ele continuou trabalhando para a mesma empresa, no interior de São Paulo. Ambos já faziam quadrinhos informalmente, há algum tempo, em seus cadernos de rascunhos, com pequenos registros do dia a dia. Foi depois do FIQ de 2009, quando foram pela primeira vez ao Festival, que decidiram: fariam quadrinhos juntos. Com o tempo, passaram a dedicar mais e mais na área. O casal já lançou dois livros doQuadrinhos A2 e um terceiro está a caminho. Paulo lançou o primeiroGnut online e impresso. Também teve uma bem-sucedida campanha de financiamento coletivo para lançar um novo impresso do quadrinho, junto com um jogo em parceria com estúdio de game Miniboss, previsto para o primeiro semestre de 2014. Entre outros projetos e histórias a contar, se soma ainda o simpático mascote do casal. Pino, um cachorro de estimação (da vida real), virou um dos protagonistas das histórias doQuadrinhos A2. Quer acompanhar o trabalho de Crumbim e Eiko, né? Acesseo sitedo casal.

Saiba mais

Lucas Ed., convidado do FIQ!

Lucas Ed.

Lucas Eduardo Guimarães, o Lucas Ed. é investigador da Polícia Civil de Minas Gerais, e psicólogo pela Universidade Federal de Minas Gerais. Atualmente, está concluindo o mestrado na mesma instituição, onde pesquisa a representação social do corpo feminino nas HQs de super-heróis e a representação da alteridade em mídias gráficas, sobretudo nos quadrinhos. Faz parte do grupo de pesquisaMemória, Representações e Práticas Sociais, da FaFiCH/UFMG. Tem alguns trabalhos em ilustração publicitária e editorial publicados, como a série de livrosMentes(Mentes Brilhantes - Como desenvolver todo o potencial do seu cérebroeMentes Geniais - Aumente em 300% a capacidade do seu cérebro, ambos da editora Universo dos Livros). É membro fundador do Coletivo 1204 de produção de histórias em quadrinhos. Em 1999, criou o personagem Poderoso Porco, que veio a tonar-se o alter-ego com o qual compõe o grupo de redatores do blog de entretenimentoMelhores do Mundo, escrevendo principalmente sobre HQs e financiamento colaborativo. Em paralelo a essas atividades, Lucas tem se dedicado a escrever roteiros. Está produzindo uma graphic novel policial à brasileira, em parceria com João Henrique Belo.

Saiba mais

Crist Peter, convidado do FIQ!

Crist Peter

Cris Peter já trabalhou com títulos da DC, Marvel e Dark Horse, fez as cores deAstronauta – Magnetar e tem um super projeto no Catarse. Natural de Porto Alegre, onde reside, é formada em Publicidade e Propaganda pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Ela tem 29 anos e colore há 13. Já trabalhou em diversos quadrinhos, como Superman, Batman(DC Comics), Astonishing X-Men, Fantastic Four, Future Foundation, Captain America & Namor (Marvel Comics),Spike, Drucilla (Dark Horse). Em 2012, foi indicada ao prêmio Eisner por seu trabalho no título Casanova. Atualmente, é dona de uma empresa que presta serviços de colorização digital de histórias em quadrinhos para editoras norte-americanas. Já ministrou cursos em escolas como a Quanta Academia de Artes em São Paulo, Joe Kubert School, em Dover (NJ, EUA), e universidades como UniRitter e Senac (em Porto Alegre).

Saiba mais

Magno Costa, convidado do FIQ!

Magno Costa

Quadrinista e ilustrador, Magno Costa roteirizou e desenhou a HQ Oeste Vermelho, lançada em 2011, com seu irmão gêmeos Marcelo Costa. Em 2011, lançou a independente Matinê, também com o irmão. Participou da antologia qq Por Amigos de Marcelo Campos, ainda inédito; Mary, para a coleção Zug da Balão Editorial. Atualmente trabalha em A Vida de Jonas, vencedor do Proac 2012.

Joe Prado, convidado do FIQ!

Joe Prado

Joe Prado Começou sua carreira nos Anos 90. Ilustrou publicações como Dragon Magazine, Dragão Brasil, Tormenta, Invasão e Trevas. Em 2004 começou a trabalhar para o mercado americano de quadrinhos e desenhou as revistas Action Comics, Rann/Thanagar War, Birds of Prey, Teen Titans, The Warlord e Phantom. Recentemente trabalhou na saga da DC Comics A Noite Mais Densa e, em sequência, O Dia Mais Claro. Após esses títulos, trabalhou na reformulação de Aquaman, juntamente com Geoff Johns, Ivan Reis e Rod Reis. Agora o mesmo grupo é o responsável pelo principal título da editora, a Liga da Justiça.

Saiba mais

Sidney Gusman, convidado do FIQ!

Sidney Gusman

Sidney Gusman tem 47 anos. Jornalista especializado em quadrinhos, ele escreve sobre o tema desde 1990, em jornais, revistas e sites. Recebeu, de 2000 a 2006, o Troféu HQ Mix de melhor jornalista especializado em quadrinhos do Brasil. Foi editor executivo da área de quadrinhos da Conrad Editora de 2001 a 2003, sendo responsável por obras cultuadas, comoSandmaneZap Comix, além de mangás comoDragon Ball,Cavaleiros do ZodíacoeOne Piece. De 2003 a 2006, foi editor da revista Wizard, da Panini, lançando os livros100 Respostas sobre Super-Heróis,100 Respostas sobre Hanna-Barbera,100 Respostas sobre BatmaneGrandes Sagas DC, todos pela Editora Abril. Em 2006, lançou o livroMauricio – Quadrinho a Quadrinho, pela Editora Globo, que conta a história da paixão do criador da Turma da Mônica pelos gibis. Atualmente, Sidney Gusman é responsável pelo planejamento editorial da Mauricio de Sousa Produções, onde deu vida a projetos comoMSP 50,MSP + 50,MSP Novos 50, Graphic MSP e outros. Além disso, é editor-chefe do Universo HQ, um dos principais sites sobre quadrinhos do País, que venceu dez vezes o Troféu HQ Mix (de 2000 a 2007 e 2009 e 2010) em sua categoria.

Saiba mais

Franco de Rosa, convidado do FIQ!

Franco de Rosa

Ele é desenhista, editor e roteirista de HQs. Francisco Paulo de Rosa, nascido na cidade de São Paulo, passou a infância se mudando de uma cidade para a outra com a família. Em 1967, aos 11 anos, conheceu os gibis da editora Edrel. Por meio deles, tomou contato com o trabalho do editor Minami Keizi. Em 1971, já em SP, foi convidado para criar um jornal do grêmio estudantil. Além de desenhar, ele também ficou responsável pela parte gráfica e precisou aprender a operar mimeógrafo. No mesmo ano, e com apenas 15 anos, produziu seu primeiro fanzine, o Frama. Ao longo de sua carreira, participou de outros jornais, como Notícias Populares e Folha de São Paulo. Além disso, lançou diversos títulos, como as tiras do Capitão Caatinga e Chucrutz.

Saiba mais

José Aguiar, convidado do FIQ!

José Aguiar

José Aguiar éarte-educador, desenhista, ilustrador, roteirista e editor. Formado em Artes Plásticas, na Faculdade de Artes do Paraná (FAP), trabalha desenhando desde 1995 e já publicou diversas HQs, como Folheteen (Devir), Quadrinhofilia(HQM), Revolta de Canudos (Escala Educacional) e Ato 5 (Quarto Mundo). Em 2011, lançou Vigor Mortis Comics em uma parceria entre Quadrinhofilia e Zarabatana Books. Ilustrou, na França, para Éditions Paquet duas HQs da série Ernie Adams e participou de Un Jour de Mai (coletânea). Entre seus prêmios estão Troféu HQMIX, Angelo Agostini e I Concurso Internacional de Quadrinhos, SENAC/SP. Além de curador da Gibicon, ele é curador e co-criador do Cena HQ. Atualmente publica as tiras Folheteen e Nada Com Coisa Alguma no jornal Gazeta do Povo, em Curitiba, onde também é colunista. Publicou, nessa ano, pela sua editora independente, a Quadrinhofilia, os livros Reisetagebuch – Uma Viagem Ilustrada pela Alemanha e Folheteen – direto ao ponto.

Saiba mais

Rodney Buchemi, convidado do FIQ!

Rodney Buchemi

Rodney Buchemitem 38 anos e é multitarefas. Formado em Design de Interiores, Buchemi é professor de Desenho Artístico, História em Quadrinhos e Coordenador da Escola de Artes Visuais Studio A4. Mas além de tudo isso, nosso convidado é também, claro, um grande quadrinista, com trabalhos publicados no Brasil e no exterior. Entre suas eles estão títulos como Fahrenheit, Marvel Adventure Avengers,Incredible Hercules, Hulk, X-Men Forever, Teen Titans (Novos 52) e Smallville.

Saiba mais

Danilo Beyruth, convidado do FIQ!

Danilo Beyruth

Danilo Beyruth: nascido em São Paulo, em 1973, é formado em Desenho Industrial. Antes de tentar a carreira de quadrinistas, fazia ilustrações para publicidade. Mas em 2006 resolveu fazer um curso de perspectiva, além de um curso sobre narrativa de histórias em quadrinhos. já no ano seguinte começou a publicação daquele que seria um de seus principais trabalhos: Necronauta. Outro sucesso foi Bando de Dois, Graphic Novel lançada também pela Zarabata e produzida com um financiamento da Secretaria da Cultura de São Paulo, por meio do Programa de Ação Cultural, o ProaC. O álbum recebeu o prêmio Angelo Agostini (melhor lançamento) e o Troféu HQ Mix em três categorias (Melhor Desenhista Nacional, Melhor Roteirista Nacional e Melhor Edição Especial Nacional). Também foi um dos participantes da MSP +50, Jesus Hates Zombies, Inkshot e Fierro. Em Novembro de 2011, durante o 7º FIQ, foi anunciado com um dos autores da Graphic MSP. Beyruth ficou responsável por criar uma história para oAstronauta. Astronauta – Magnetar foi mais um sucesso, podendo ser lançado na Europa. Além disso, foi a HQ mais lembrada de 2012, segundo o prêmio HQMix, recebendo os títulos de Edição Especial Nacional, Desenhista Nacional e Projeto Editorial (ao selo Graphic MSP).

Saiba mais

Julio Ferreira, convidado do FIQ!

Julio Ferreira

Julio Ferreira: nascido em Belo Horizonte, em agosto de 1977, passou a maior parte de sua infância e adolescência em Caetanópolis, interior de Minas. As HQs chegaram em sua vida, como na vida de Ig Guara, por meio da alfabetização. Ele chegou a produzir seu próprio quadrinho ainda na adolescência. Formou-se na Escola de Belas Artes da UFMG. Foi nessa época que teve suas primeiras oportunidades no mercado internacional de quadrinhos, com minissérie da Dark Horse Comics Buffy: Haunted e, em seguida, uma edição de KISS, HQ da famosa banda americana. Em 2007, nosso convidado ingressou na DC Comics, onde se mantém como artista freelancer desde então. Entre os títulos nos quais trabalhou estãoSuperman, Batman, Lanterna Verde, Novos Titãs, Mulher Maravilha,Flash, Legião dos Super Heróis e Homem-Animal. Atualmente é o arte-finalista regular da revista Batwing, parte dos Novos 52.

Saiba mais

Gabriel Bá, convidado do FIQ!

Gabriel Bá

Gabriel Bá e Fábio Moon são irmãos gêmeos e nasceram em 1976, em São Paulo. Publicaram seu primeiro fanzine de histórias em quadrinhos em 1993. Formados em Artes Plásticas (pela FAAP e pela ECA-USP, respectivamente), criaram em 1997 o fanzine 10 Pãezinhos, que recebeu o prêmio HQ Mix de melhor fanzine e de artistas revelação em 2000, ano em que lançaram seu primeiro livro, “O Girassol e a Lua”. Por quase 20 anos, os dois têm produzido quadrinhos para o mercado brasileiro e para o mercado americano. Eles estão entre os quadrinhistas brasileiros mais reconhecidos da atualidade e seus trabalhos foram publicados em treze idiomas ao redor do mundo. Seu último livro, Daytripper, estreou em primeiro lugar na lista de mais vendidos do New York Times, foi escolhido como uma das dez melhores Graphic Novels de 2011 pela Publishers Weekly e pela Amazon.com, além de ter sido premiado com os prêmios Eisner e Harvey Awards (nos EUA), Eagle Awards (no Reino Unido) e Les Utopiales (na França).

Saiba mais

Sebastian Fiumara, convidado do FIQ!

Sebastian Fiumara

Nascido em Buenos Aires, em 1977, Sebastian já participou de diversos títulos. Começou a trabalhar com quadrinhos norte-americanos em 2003, para Avatar Press, em títulos como Alan Moore´s Hypothetical Lizard, Friday the 13th e George Romero’s Night of the Living Dead. Também trabalhou com a Marvel, onde desenhou em projetos como The Picture of Dorian Gray e Ender’s Shadow. Depois de uma pequena colaboração para DC Comics, ele começou a desenhar para a Dark Horse. Atualmente, nosso convidado faz um trabalho conjunto com seu irmão em Abe Sapien.

Saiba mais

Alves, convidado do FIQ!

Alves

Alves é mineiro de Itabira e reside, desde pequeno, em Lagoa Santa - MG. Graduado em Geografia pela UFMG, é um dos mais premiados cartunistas brasileiros com reconhecimento em importantes salões de humor nacionais e internacionais, como o Salão Internacional de Humor de Piracicaba, BH Humor, Festival Internacional de Quadrinhos de Pernambuco e vários outros. Já fez roteiros de histórias em quadrinhos para a Maurício de Sousa Produções e publicou seu trabalho em todos os grandes jornais de Minas Gerais. Publicou histórias em quadrinhos curtas na extinta revista Grafitti 76% Quadrinhos. Em 2011, participou da coletânea MSP Novos 50. Em 2012 lançou o seu primeiro álbum em quadrinhos, o A Rua de Lá, pelo selo independente Grafitti 100% Quadrinhos. Em Julho de 2013, publicou seu primeiro cartum fora do Brasil, no jornal francês Courrier International. Suas tiras e também podem ser vistas em livros didáticos e paradidáticos de grandes editoras brasileiras. Atualmente, publica tiras diárias no Jornal Hoje em Dia de Belo Horizonte, faz lustrações e charges para aFolha de São Paulo, quadrinhos para versão brasileira da Revista MAD e ilustrações para o Le Monde Diplomatique Brasil.

Saiba mais

Klaus Janson, convidado do FIQ!

Klaus Janson

Klaus Janson nasceu na Alemanha em 1952. Em 1975 começou a trabalhar na revista do Demolidor, arte-finalizando os lápis de Frank Miller. Eventualmente ele assumiu toda a arte do título, e até mesmo o roteiro. Alguns anos depois, sua parceria com Miller resultou em um dos títulos mais icônicos da história dos quadrinhos: The Dark Knight Returns, em 1986. Além de Miller, Janson já trabalhou com outras lendas, como Grant Morrison e John Romita Jr. Professor da School of Visual Arts, em Nova York, escreveu os dois manuais oficiais de desenho da DC Comics, e ainda dá cursos na Marvel e no Museum of Comic and Cartoon Art.

Paulo Ramos, convidado do FIQ!

Paulo Ramos

Jornalista e professor do Departamento de Letras da Universidade Federal de São Paulo, ele também é doutor em Letras pela Universidade de São Paulo e possui pós-doutorado em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas. Integra o Observatório de Histórias em Quadrinhos da USP e coordena na Unifesp o Getexto (Grupo de Estudos do Texto Midiático). É autor de vários artigos, além de livros teóricos e jornalísticos sobre HQ, entre os quais se destacamA Leitura dos Quadrinhos(2009),Bienvenido - Um Passeio pelos Quadrinhos Argentinos(2010),Faces do Humor - Uma Aproximação entre Piadas e Tiras(2011) eRevolução do Gibi - A Nova Cara dos Quadrinhos no Brasil(2012). Em agosto de 2013, lançou duas outras obras, editadas em parceria com Waldomiro Vergueiro e Nobu Chinen:Intersecções Acadêmicas - Panorama das 1as Jornadas Internacionais de Histórias em QuadrinhoseOs Pioneiros no Estudos de Quadrinhos no Brasil. É um dos organizadores das Jornadas Internacionais de Histórias em Quadrinhos. Já venceu cinco troféus HQMix pelo seu trabalho com HQs. É o responsável pelo siteBlog dos Quadrinhos.

Saiba mais

Chantal, convidado do FIQ!

Chantal

Chantal começou a publicar quadrinhos e ilustrações no jornal Diário da Tarde e, atualmente, publica a série Juventude no jornal Estado de Minas. Trabalha com ilustrações para revistas e jornais e design gráfico, tendo já publicado revistas com coletâneas de tiras em quadrinhos da série Juventude, além dos livros infanto-juvenis Blog da Cacau, Ninguém Merece e Ai, amigas! Ninguém merece!. Já publicou desenhos na Suíça e nos Estados Unidos e participou da exposição Consequências Historieta Brasilenã em Madri e Barcelona. É doutoranda em Artes Visuais (Escola de Belas Artes - UFMG), Mestre em Artes Visuais (Escola de Belas Artes - UFMG); especialista em Comunicação - novas tecnologias e hipermídia (lato sensu), pelo Centro Universitário de Belo Horizonte (UNI-BH) e bacharel em Design Gráfico na Escola de Design da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG). Atualmente leciona no curso de Design e de Design Gráfico no Centro Universitário de Belo Horizonte - UNI-BH, e no curso de Pós-graduação lato sensu Projetos Editoriais Impressos e Multimídia na UNA.

Saiba mais

Marcatti, convidado do FIQ!

Marcatti

Marcatti é um dos grandes nomes dos quadrinhos underground do Brasil. Em 36 anos de carreira, já produziu mais de 2000 páginas. A maior parte de seu trabalho foi publicado em revistas e livros impressos por ele mesmo, em uma velha máquina offset. Nasceu na cidade de São Paulo, no bairro do Tatuapé (Zona Leste), no ano de 1962. No final da década de 1980, foi colaborador de revistas como Chiclete com Banana e Casseta Popular (Circo Editorial). Produziu, em 1990, o álbum Glaucomix. Trata-se da adaptação do livro Manual do Pedólatra Amador, de Glauco Mattoso, com quem dividiu os roteiros e a edição. Em 2001, seu personagem Frauzio foi lançado nas bancas de todo o país pela Editora Escala. Entre 2005 e 2007, publicou dois livros pela Conrad Editora: Mariposa e A relíquia (adaptação da obra homônima do escritor Eça de Queiroz). Recebeu o Angelo Agostini de Melhor Roteirista e por cinco vezes, o HQMix de Publicação Independente. Foi homenageado em 1988 com o troféu Jayme Cortez – pelo apoio e incentivo ao quadrinho nacional e, em 2012, recebeu o título de Grande Mestre na 24ª edição do Troféu HQMix.

Saiba mais

Becky Cloonan, convidado do FIQ!

Becky Cloonan

Becky Cloonan já trabalhou com a Vertigo, Dark Horse, Harper Collins e Marvel. Ela nasceu na Itália, em 23 de junho, mas foi criada nos EUA, onde mora. Começou sua carreira em 1999, criando minicomics que distribuía em convenções e eventos. Em uma dessas andanças, em 2004, para sermos exatos, ela conheceu Brian Wood, com quem trabalhou na série Demo. Sucesso que rendeu sua primeira graphic novel: East Coast Rising. Após o lançamento, Becky Cloonan foi convidada para desenhar American Virgin, conhecida série da Vertigo. A partir daí, a quadrinista recebeu diversos outros convites e seus trabalhos foram se espalhando. Passou a ter publicações por todo o mundo. Ela ganhou, e continua ganhando, prêmios. Um deles foi um Eisner de Melhor Antologia pela 5, quadrinho que fez em conjunto com Fábio Moon, Gabriel Bá, Rafael Grampá e Vasilis Lolos. Juntos, com exceção de Grampá, fizeram Pixu, que foi lançado pela Devir e publicado por aqui. Becky tem diversos trabalhos conhecidos, como Batman e O Conan.

Saiba mais

João Marcos, convidado do FIQ!

João Marcos

João Marcos é mineiro de Ipatinga. Mestre em Artes Visuais pela Escola de Belas Artes da UFMG, ele é professor da Universidade Vale do Rio Doce no curso Arquitetura e Urbanismo. É um dos roteiristas da Mauricio de Sousa Produções. Ilustrador de livros e revistas diversas, além de ser chargista do jornal Diário do Aço. Faz pesquisas sobre o uso das histórias em quadrinhos na educação, trabalho que ganhou o troféu HQ Mix e resultou no livroTraça Traço Quadro a Quadro: a produção de histórias em quadrinhos no ensino de Arte, da editora C/Arte. Ministra palestras, oficinas e cursos de capacitação de professores em instituições de ensino como USP, UFMG, UFES, PUC entre outras. Alguns de seus livros: A Pescaria Magnética do Seu Vivinho e Outras Histórias, 20.000 Léguas Submarinas em Quadrinhos - adaptação da obra de Júlio Verne, Histórias Tão Pequenas de Nós Dois, Sete Histórias de Pescaria de Seu Vivinho, O Mundo Mendelévioe o Planeta Telúria,Jarbas Não Quer Voar, Um Presente Especial, entre outros. Ele também participou do Ouro da Casa eMSP 50, ambos da Panini, e dos livros teóricos Diálogos entre Linguagens e Quadrinhos na Educação: da rejeição à prática.

Saiba mais

Guilherme Balbi, convidado do FIQ!

Guilherme Balbi

Já Guilherme Balbi começou sua carreira em 2007. Nascido em Ubá, interior de Minas Gerais, o quadrinista veio para Belo Horizonte para estudar. Formou-se em Artes Visuais na UEMG. Ingressou no mercado norte-americano de quadrinhos em 2011 e não parou mais. Trabalhou para várias editoras e, entre elas, Dark Horse, Marvel e DC. Inclusive, nessa última, Balbi faz parte dos Novos 52 (reformulação dos Universo DC Comics que se iniciou em 2011). Atualmente é professor da Escola Técnica de Artes Visuais, atua no mercado publicitário como ilustrador e desenhista da DC Comics.

Saiba mais

Lu Cafaggi, convidado do FIQ!

Lu Cafaggi

Lu Cafaggi nasceu em 1988 e estuda Jornalismo em Belo Horizonte. Atualmente nossa convidada trabalha como ilustradora. Começou publicando quadrinhos a partir de 2010, em Los Pantozelos, seu blog pessoal. Foi durante o 7º FIQ, em 2011, que lançou seu primeiro trabalho: Mixtape. Trata-se de uma coletânea contendo quatro mini-gibis que contam histórias inspiradas em música. E tudo vem dentro de uma caixinha. A partir daí seu traço delicado chamou a atenção. O que a levaria ao seu próximo trabalho, em parceria com seu irmão Vitor. Juntos fizeram Turma da Mônica – Laços, o segundo álbum do selo Graphic MSP. O roteiro e a arte ficaram por conta dos Cafaggi, a edição por Sidney Gusman, e publicação pela Maurício de Sousa Produções e Panini

Saiba mais

Ivo Milazzo, convidado do FIQ!

Ivo Milazzo

Ivo Milazzo nasceu em 20 de junho de 1947 e é conhecido por seus desenhos de quadrinhos no estilo western europeu. Seu primeiro trabalho profissional foi em 1971, com Il cieco, publicada na revista Horror, da editora Sansoni. Ao lado do roteirista Giancarlo Berardi, em 1974, criou Ken Parker. Com 59 episódios, a série durou até 1984, estreando no Brasil em 1978, pela Editora Vecchi, que publicou até agosto de 1983. Em 1990 Ken voltou com mais dois volumes por meio da Best News, mas, em pouco tempo, e para o lamento dos fãs, a editora foi fechada. Logo a Editora Mythos retomou a publicação regular da série, presenteando os leitores com 18 edições do herói. No currículo dele há diversos trabalhos de sucesso na Europa, além deKen Parker, como O homem das Filipinas (na coleção Um Homem, Uma Aventura), Welcome to Springville, as séries Marvin il Detective(também criado junto com Berardi), Tom’s Bar, Giuli Bai & Co. Além disso, mais recentemente, é possível encontrar seu trabalho nas edições de Mágico Vento, que já teve números desenhados por ele, publicados no Brasil. Para Tex Willer, desenha Sangue sul Colorado, publicada na série Tex Gigante (no Brasil, TXE-009 – Sangue no Colorado). Milazzo faz parte da agência internacional Tomato Farm.

Saiba mais